Skip to main content

Nova Coroa do Advento



Em preparação do Natal de Nosso Senhor Jesus Cristo, na Paróquia da Santíssima Trindade, foi apresentada a nova Coroa do Advento pelo Reverendo Arthur Cavalcante. Segundo o nosso Reitor, o material utilizado foi um tronco de árvore que estava jogado nas ruas do Centro de São Paulo.


 Coroa do Advento


Uma orquídea roxa foi enxertada na própria madeira e as velas foram organizadas em um belo círculo. Depois de alguns ajustes o tronco foi transformado em um objeto litúrgico da comunidade.


 Segue a Homilia do Reverendo Arthur na Abertura do Advento


Breves Pontos de Reflexão sobre o Advento: Vigilância!


Textos bíblicos: Isaías 2:1-5; Salmo 122; Romanos 13:8-14; Mateus 24:37-44.


Por Arthur Cavalcante*


Reverendo Arthur Cavalcante Iniciamos o novo ano da Igreja de Cristo: hoje é o tempo do Advento. A palavra vem do latim Adventus Redemptoris, significando “A Vinda do Redentor”. O Advento socorre a nossa espiritualidade para lembrando-nos da necessidade de estarmos preparados para a volta do Cristo. Na oração dominical, oramos “Pai nosso que estas nos céus...venha o teu Reino”, expressando o nosso desejo que o Cristo estabeleça seu reinado de justiça e paz definitivamente sobre todos.


Teremos quatro semanas, marcadas pelos quatro domingos que antecedem o dia de Natal. Não há duvida que o Natal perdeu seu sentido com o passar do tempo. Não falo das propagandas, do Papai Noel, dos presentes ou dos momentos de afloramento de confusos sentimentos. Isso tudo tem sido parte desse dia marcante para a Religião, Família e Comércio.  Falamos de outra coisa. Vivemos mergulhados em um mundo do qual Deus não faz parte do nosso cotidiano. Trocamos tudo! O advento vem trazer aquele gostinho de quem espera por alguém querido e desejado. Mobilizamos tudo para tornar possível sua vinda. E no dia de sua chegada tudo terá sentido, cada ação que nos comprometemos. Valeu tudo na espera para viver esse momento.


Coroa do Advento da Paróquia da Trindade


O texto de hoje deseja-nos chamar atenção para uma atitude que deverá fazer parte de nossa espiritualidade: vigilância! Significa observar, guardar, velar que segundo o evangelho, está relacionado a atitude daquele que espera a segunda manifestação de Cristo. Nessa vigilância da comunidade de Cristo, dois pontos não devem ser esquecidos.


Grace Picard Paróquia da Santíssima Trindade


O primeiro ponto lembra que não há uma data marcada para a manifestação de Cristo. Não houve da parte de Deus um acerto com sua Igreja sobre esse momento. Esse dia será um momento que surpreenderá a todos!  Sabemos que esse momento será antecipado por sinais: falsos cristos, falsos profetas, a multiplicação da maldade e até o esfriamento do amor entre as pessoas. Na verdade, tudo isso temos presenciado em nosso meio: Governos que se colocam como salvadores de povos. Religiões que se tornam porta vozes da opressão, da violência e da intolerância. Diante de tudo isso muitos abandonaram a fé. Ficaram pelo caminho e perderam até o élan. Nesses momentos devemos aumentar nossa vigilância não nos deixando levar pelas ondas de pessimismo que sempre teremos que enfrentar. Devemos vigiar e também rejeitar projetos grandiosos que se colocam como caminhos fáceis e agradáveis, mas não refletem em nada o Reino de Deus e tão pouco o projeto de comunidade. 


O segundo ponto lembra que a expectativa pela vinda de Cristo não nos deve deixa alienados nos afazeres do dia a dia e nem dos compromissos com o próximo, com a sociedade. Temos obrigações a serem cumpridas. O tempo de ausência de Cristo em nosso meio é um tempo de intensa atividade. Há muita coisa a ser feita. E aqui muitos fazem confusão. Não devemos confundir atividades comunitárias com ativismo. O ativismo nada mais é que preenchimento do tempo vazio. Conhecemos muitas pessoas que giram suas vidas em torno dos eventos, não refletindo sobre o agir. Isso não é uma práxis religiosa transformadora, um agir inteligente e a serviço do Reino de Deus. As atividades comunitárias, não devem seguir esse ritmo, pois o que deve ser central é o serviço de braços dados com a reflexão nos evangelhos sempre dialogando com a sociedade.


Assim com vigilância e trabalho seremos bons servos e servas que guardam mais um Natal de Nosso Senhor Jesus Cristo. Vem, Senhor Jesus. Amém!


*Reverendo Arthur Cavalcante é Reitor da Paróquia da Santíssima Trindade